A MULHER ESPACIAL nasceu do encontro sonoro de quatro mulheres que andavam muito espaciais, no carnaval de 2008. Horas de improviso, riso e esquecimento renderam mais de uma dúzia de canções improváveis registradas em mono, numa velha fita k7.

Após meses de silêncio, juntaram-se a outras pessoas e brincaram com vários instrumentos; resgataram suas composições, criaram novas e definiram melhor algumas delas (outras, nem tanto); gravaram alguns ensaios e absurdos e apresentaram-se em dois shows muito bem recebidos pelos presentes.



Ao fim de 2008 a Mulher Espacial entrou em hibernação, da qual despertou em 2009, com sua formação original.

Leandra Lambert - vozes, sintetizadores e palavras do além
Flávia Goo - guitarras espaciais e baixo
Maria Clara - guitarra, violão elétrico e flauta
Helga Balbi - bateria lisérgica e teclado

Também incorporam de forma experimental outros instrumentos como violino, kalimba, gaita, percussões, qualquer som que leve ao espaço, ou além.

O imaginário, o inconsciente, o aleatório, passados alternativos e futuros esquecidos que se encontram são influências das mais importantes; krautrock, psicodelia, pós-rock, pós-punk, blues desconstruído, Mutantes e Secos & Molhados também entram na nave.

Até agora, nada foi gravado além de ensaios em vídeo ou áudio, que podem ser ouvidos AQUI.

A Mulher Espacial voltou ao sono em cápsulas vítreas. Não se sabe se despertará novamente um dia...

Glass Grapes em ensaio no fim de 2008