Quarta-feira
out172012

Felicidade-em-abismo

Quarta-feira
set192012

Fábrica Aberta - Última semana

Sexta-feira
set142012

Fábrica Aberta

Ateliês abertos na Bhering! São mais de 50 artistas plásticos, designers, fotógrafos, etc.  E mais gastronomia, moda, etc. São muitos "etc"!

Também estou por lá, dividindo um ateliê com a Juliana Franklin. Hoje, sexta, só chegaremos no fim da tarde.

A visita pela Fábrica toda vale a pena. É bom ir com tempo e sapatos confortáveis.

Terça-feira
set112012

Até que a rua nos separe - Lançamento do catálogo

A exposição dos artistas Mauricio Dias e Walter Riedweg reúne uma seleção primorosa de obras. Inclui desde o primeiro trabalho da dupla, Devotionalia, de 1994, realizado junto a 600 crianças moradoras de rua, até Serviços Internos, adaptação de um trabalho antigo, anteriormente realizado com filhos de imigrantes e refugiados na Suíça.  Trata-se, agora, de uma instalação em processo, produzida junto ao educativo com a participação de centenas de alunos da rede pública do Rio de Janeiro, em oficinas nas escolas e na exposição. São trabalhadas a sensorialidade, a subjetividade, a memória, a imaginação e o respeito pelas diferenças.

Nesta terça, 11/9, o Centro de Arte Hélio Oiticica estará aberto para visitação em horário extra, 18h às 21h. Na quinta-feira haverá o lançamento do catálogo, de 18:30 às 20:30. A exposição, iniciada em 16 de agosto, se encerra no fim de setembro. Imperdível.

Texto de Maurette Brandt sobre a exposição

Matéria (contendo trechos de vídeos da dupla)


Sexta-feira
ago242012

Vai de antropoemia aí? 

O seminário "Vômito e não: práticas antropoêmicas na arte e na cultura" começou segunda-feira na UERJ, com palestra de Paulo Herkenhoff. Terminaria hoje lá, com debate geral, após conflitos, recusas questionáveis (e devidamente questionadas) e outros nãos e vômitos dos mais diferentes teores. Mas ontem um protesto de grevistas e alunos virou "caso de polícia" de forma totalmente equivocada e truculenta, mais uma vez. Tropa de choque, invasão, bombas de gás. A UERJ encontra-se fechada e sem luz, proibida de abrir suas portas. Democracia?

Onde vomitaremos nossas vozes depois da ação violenta da polícia? Estamos no aguardo... Segundo a organização:

"Caros,

Como já divulgamos, ontem devido à invasão policial ao campus da UERJ, nosso seminário ocorreu fora da universidade. Hoje, 24/08, fomos informados que o campus permanecerá fechado e não será permitida a entrada de qualquer pessoa. Informamos a todos que A PROGRAMAÇÃO DO SEMINÁRIO SERÁ MANTIDA. Estamos buscando um local para que possamos dar continuidade ao debate e em breve passaremos as coordenadas para aqueles que quiserem participar."

PASSADAS AS COORDENADAS:

ATENÇÃO: as comunicações desta tarde, da mesa "Comer e vomitar", ocorrerão no bar Rio Scenarium, às 15h. Rua do Lavradio, 20. 
http://www.rioscenarium.com.br/apresentacao.aspx

Comer e vomitar no bar!

 

Quarta-feira
ago012012

Nos Caminhos do Fantástico

Meu conto "A Décima-Oitava Vertigem" foi selecionado em concurso para publicação na coletânea "Caminhos do Fantástico" da Terracota Editora, com lançamento em setembro, na Fantasticon, em SP. O conto "Hiriburu", do Alexandre Mandarino e mais 13 autores foram selecionados entre 90 inscritos. Vivas!

Terça-feira
jun122012

Paisagem e Extremos - últimos dias

Lançamento do catálogo nesta quarta, 13-6-12, às 18h, na Galeria Candido Portinari, UERJ Maracanã. Últimos dias, é só até sexta.

Sexta-feira
mai182012

Exposição Paisagem e Extremos na Candido Portinari

Estarei lá com "A Noite quando cai nunca é a mesma".  Haverá performance de Raissa Ralola e mais 14 artistas - vídeos, instalações, desenho... Terça que vem! Abaixo, um pequeno detalhe do meu trabalho.

Link para registro de "A Noite..." na exposição. 

Exposição Paisagem e Extremos.

Paisagens são relações: um corpo e um mundo, zonas de contato, fronteiras em dissolução. A exposição coletiva Paisagem e Extremos trata do encontro com as sensações, esse momento em que o corpo, passeando na cidade, nas ruas, entre os prédios, encontra as aberturas e os respiradouros nesse mundo.

Múltiplos processos se fazem sentir em fotografias, desenhos, vídeos, objetos, performances, sonoridades e misturas de diversos recursos. A coletiva reúne trabalhos de 16 artistas que participam do grupo de pesquisas Arquivar, articulado pelos responsáveis pela curadoria, e que em 2011 contou com a participação de Gilles Tiberghien, da Universidade Paris I.

A experiência extrema não se dá no distante, mas na redescoberta do próximo, no cotidiano, influente o bastante para permitir a utopia do encontro. E como afirma Barthes, quanto mais o cotidiano do sujeito é influente sobre seu pensamento, mais a utopia é forte. 

Terça-feira
mar202012

"Sonoridades Complexas" na Overmundo #5 - 03/2012

Saiu uma generosa matéria comigo e com a Mary Fê, na ótima edição n.5 da Revista Overmundo, por Tiago Rubini. Obrigada ao Tiago e a todos que colaboraram.

>

OVERMUNDO #5 - CULTURA DIGITAL

"A pauta é tão óbvia que não nos pareceu imediata. O Overmundo, afinal, é fruto da cultura digital. Na efervescência do período em que pipocaram aqui e acolá os sites da chamada web 2.0, as redes sociais, os georreferenciadores, as plataformas de crowdsourcing e crowdfunding, lá estávamos nós. Retomar esse tema e narrar um pouco do panorama em que surgiram diversas iniciativas e movimentos voltados ao digital e às artes eletrônicas é, portanto, um pouco retomar as origens. Você faz parte da cultura digital...

VOCÊ, aliás, foi a personalidade do ano, no ano em que o Overmundo nasceu. De 2006 para cá, o estilo do-it-yourself, a ética/filosofia hacker e o ciberativismo só têm feito se expandir, ou melhor, se infiltrar pelo mundo. As páginas seguintes comentam um pouquinho desta história, trazendo à luz o contexto brasileiro de alguns movimentos políticos alternativos e apresentando casos de apropriação de ferramentais digitais para a mobilização em prol de causas. A cultura digital é tão pervasiva que mesmo um gênero de mídia tipicamente independente e alternativo, como o fanzine, encontrou sua vertente eletrônica. Como sabe todo zineiro, são muitos recortes possíveis...

Há, é claro, toda a discussão em torno da pirataria e do download e compartilhamento de bens culturais. Se é preciso repisar este tema, façamos em grande estilo, evocando o mesmo experimentalismo dos zineiros, com uma curiosa entrevista em quadrinhos com três dos mais influentes blogueiros de música do país. Na música também estão imersas as artistas Mary Fê e Leandra Lambert, que experimentam com artes plásticas, performances, e sonoridades eletrônicas, tudo junto e misturado.

Como nem só de música se faz a cultura digital, guardamos espaço também para a literatura eletrônica. Esta edição da revista proporciona um passeio saboroso pela e-lit (sem trocadilhos) brasileira. E nos leva a conhecer cineastas amadores, que mesclam a experiência do teatro satírico com produções filmadas a partir de celular, no Piauí.

Cultura digital não é coisa só de jovem! Você conhece o Vlog do Fernando? É um videolog para velhos. Com o humor ácido do grupo Parafernalha, a brincadeira pegou no YouTube e Fernando, o velhinho com incontinência urinária e boca-suja, é assunto comentado em todas as mídias sociais. Sucesso da internet, como é também o repertório do Bin Laden do Brega. O terrorista do amor batalha para conseguir um lugar ao sol.

Do sertão de Palestina (AL) ao deserto do real, a cultura digital está em nós. E você? O que achou de tudo isso? Queremos (saber) a sua impressão (digital)?"

Os Editores 

>

Segunda-feira
jan232012

Hyperpulp # 2 - Jan. 2012 - no ar!

O segundo número de Hyperpulp já está online e pode ser baixado aqui.

Nesta edição/ In this issue:

A Sad Affair in Verbatim City  -  Liam Sharp    
Um Triste Caso em Verbatim City  -  Liam Sharp 
Pervert  -  C. C. Finlay
Pervertido  -  C. C. Finlay
The Heart of the Overchild  -  Daniel Pearlman
O Coração da Supracriança  -  Daniel Pearlman
Interview  - Gallery /
Entrevista - Galeria -  Paul Madonna
Tenth Orbit  -  Gustavo Bondoni
Décima Órbita  -  Gustavo Bondoni
The Really Dangerous Game  -  Carlos Orsi
O Jogo Realmente Perigoso  -  Carlos Orsi
Butterfly Skin  -  Berit Ellingsen
Pele de Borboleta  -  Berit Ellingsen

 

Versões para iPad e Kindle das duas primeiras edições serão adicionadas em breve.

A partir deste número 2, Hyperpulp deixa de ser trimestral e passa a sair três vezes ao ano, nos meses de janeiro, maio e setembro. Isso acontece por dois motivos: fomos otimistas em relação ao nosso tempo hábil para ler, selecionar, traduzir e editar os seus contos, além de criar o layout da revista, diagramar, divulgar, etc. Somos um staff muito reduzido e todos temos day jobs. Criamos a Hyperpulp por profundo amor à literatura e à arte em geral. Adoraríamos que a revista fosse mensal, mas para manter o nível de qualidade que tentamos levar para a revista optamos por torná-la quadrimensal. Com isso, Hyperpulp fica maior: esta edição possui um conto a mais e as próximas deverão ser maiores.

O segundo motivo é que subestimamos o volume de contos enviados. Temos recebido uma espantosa quantidade de material, de várias partes do mundo. É um imenso prazer ler suas histórias e traduzir para o português as que selecionamos. Pedimos a ajuda de vocês para que divulguem a Hyperpulp. Falem da revista para seus amigos escritores, artistas e leitores. E, claro, enviem seu material. Queremos fazer essa ponte entre os autores e leitores de língua inglesa e os de língua portuguesa.

A partir da edição 3, aceitaremos colaborações de não-ficção. Artigos ou resenhas voltados para a literatura especulativa e a arte alternativa – e seus inúmeros temas-satélite. Mandem seus textos.

Esperamos que gostem da edição 2. Boa leitura e bom 2012!

 

Alexandre Mandarino

Editor-Chefe

REVISTA HYPERPULP

--------------------

The second issue of Hyperpulp is online and can be downloaded here.

iPad and Kindle versions of the first two editions will be added soon.

From this number two, Hyperpulp is no longer quarterly and will go out three times a year, in January, May and September. This is happenning for two reasons: we were optimistic about our time to read, select, translate and edit your stories, and create the magazine's layout, post about it on the web et al. We are a very small staff and we all have day jobs. Hyperpulp was created out of deep love for literature and art in general. We'd love to be a monthly magazine, but in order to keep the level of quality we want for it we decided to make it quadrimonthly (and, also, this is a lovely word). So, Hyperpulp grew: this edition has more stories and translations and the next will be bigger.

The second reason is that we underestimated the volume of short stories submitted. We have received an astounding amount of material from various parts of the world. It is a pleasure to read the stories we select and translate them into Portuguese. We ask for your help to spread the word about Hyperpulp. Please, talk about the magazine to your friends and to the writers, artists and readers you know. And of course, send your material. We want to make that bridge between English and Portuguese speaking authors and readers.

From the third edition, we'll also accept non-fiction contributions. Articles and reviews focused on speculative literature and alternative art - and their many satellite issues. Send your texts.

We hope you enjoy the second edition. Good reading and good 2012!


Alexandre Mandarino

Editor-in-Chief

HYPERPULP MAGAZINE

Page 1 ... 3 4 5 6 7 ... 17 Next 10 Entries »